O UNIVERSO DA ANÁLISE:

Os veículos de Mídia para análise foram selecionados pelos acadêmicos de forma aleatória e representam geograficamente veículos inseridos nos locais de residência dos alunos, bem como, espaços de leitura cotidiana

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Imparcialidade ou opinião jornalística (01)

Por: Damara Savoldi

O texto jornalístico e as imagens usadas nos veículos de comunicação informam, criam laços e transmitem sentimentos. Cada palavra e imagem tem poder e mensagem implícitos, ou seja, falam por si só. No entanto, o contexto em que elas estão inseridas é um dos fatores determinantes para apontar a direção que o entendimento vai tomar. O uso irresponsável do material jornalístico causa desgaste e interpretações infinitas.
Diante de uma sociedade recheada de estereótipos e preconceitos, novidades surgindo diariamente e pessoas famintas por notícias inéditas, são naturais as dúbias interpretações. Por isso, os jornalistas precisam expressar com exatidão a notícia, tendo como premissa básica a imparcialidade dos fatos. Utilizar termos que reforcem preconceitos e imagens que causem impacto sensacionalista, podem alterar o sentido real do fato na hora da interpretação do público leitor.
Por outro lado, é preciso ressaltar que a imparcialidade total é um tanto utópica, já que o sentido de informar é ultrapassado quando se faz a seleção de palavras e imagens a serem usadas em uma matéria. Tudo que é publicado gera opiniões e discussões no público e não há como impedir as múltiplas interpretações. Assim, se o jornalismo é o porta voz da opinião pública, não há como escapar de algum tipo de posicionamento, mesmo mantendo a neutralidade.
Dado o caráter social do jornalismo, a imparcialidade prevê também abrir espaço para a manifestação do público diante de fatos ocorridos. Como expressa Roberto Della Santa Barros, “o órgão de comunicação não apenas pode, mas deve orientar seus leitores/espectadores, a sociedade, na formação da opinião, na tomada de posição e na ação concreta enquanto seres humanos e cidadãos”.
Os veículos de comunicação de Concórdia e região, por serem de pequeno porte, muitas vezes preferem omitir informações prejudiciais a órgãos mantenedores do veículo. Neste caso, a imparcialidade se choca com o capitalismo. A presença de publicidade ou matérias protecionistas a administração municipal, podem ocultar problemas, que hora ou outra, estouram. Aí, como será o posicionamento da mídia?

Fonte: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/spe260620021.htm - Os fiéis escudeiros do barão de Münchhausen de Roberto Della Santa Barros

Nenhum comentário:

Postar um comentário